Especialidades

A Unique Saúde e Estética Oral disponibiliza seu corpo clínico de especialistas para realizarem um diagnóstico completo e planejamento integrado dos seus pacientes.

Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial

Cirurgia de dentes inclusos

Quando o dente não consegue “nascer” é chamado de dente incluso ou impactado.
Os dentes que mais comumente não realizam sua erupção normal são os terceiros molares, também conhecidos como “cisos”, esses dentes são os últimos a “nascerem” na cavidade bucal e, portanto, comumente não encontram mais espaço no arco dental, pois este espaço já foi consumido por todos os outros dentes predecessores. Existe probabilidade alta dos terceiros molares causarem problemas caso não sejam extraídos, tais problemas podem ir de lesão aos dentes vizinhos, inflamação gengival, infecções e até cistos e tumores maxilo-mandibulares a depender do tipo de inclusão ou impacção.

Dentes inclusos

Além dos terceiros molares, dentes supranumerários (dentes que surgem além do número normal de dentes de uma pessoa) também impactam com frequência e devem ser removidos. E os caninos inclusos podem requerer remoção cirúrgica, ou mesmo tracionamento ortodôntico.
A remoção cirúrgica destes dentes pode ser feita sob anestesia local, sob anestesia local com sedação, ou até mesmo sob anestesia geral a depender da situação clínica de cada paciente e deste modo se estabelecer o conforto ideal para que este procedimento possa ser realizado prevenindo problemas futuros e garantindo maior qualidade de saúde bucal aos seus portadores.

Dentes supranumerários
Tratamento de patologias maxilo-faciais

Cistos, tumores e outras doenças da região bucal e maxilo-mandibular são lesões em sua esmagadora maioria benignas e que requerem intervenção cirúrgica especializada para a preservação de dentes e estrutura óssea vizinhos.

patologias maxilo-faciais patologias maxilo-faciais
Tratamento das fraturas faciais

As Fraturas de mandíbula, maxila, nariz e fraturas zigomático-orbitais podem ser consideradas agressões muitas vezes devastadoras. O aperfeiçoamento de técnicas reconstrutivas viabiliza intervenções para reparar a continuidade de ossos da face fraturados re-estabelecendo a possibilidade de recuperação de funções e da estética facial.

fraturas faciais
Reconstrução dos maxilares
A perda óssea dos maxilares pode acontecer por diversas razões, as mais comuns são as perdas dentárias precoces e as perdas ligadas ao trauma de face ou ressecções de tumores. Por todos esses motivos, sequelas podem acontecer determinando desde problemas funcionais ligados à mastigação até problemas psicoemocionais por prejuízos estéticos.
Atualmente existem algumas formas de restituição de tecidos ósseos perdidos que utilizam desde enxertos ósseos até biomateriais sintéticos que funcionam como substitutos ósseos.
Planejamento Digital Cirúrgico

A cirurgia buco-maxilo-facial da clínica Unique Saúde e Estética Oral utiliza uma das melhores ferramentas para gerenciamento de imagens no planejamento dos seus pacientes. Essa tecnologia permite análise de maneira rápida e precisa, e simula os resultados estéticos que determinadas movimentações de cirurgia ortognática possibilitam.

Planejamento Digital Cirúrgico
Cirurgia ortognática

A cirurgia ortognática, é o procedimento que visa à correção de problemas funcionais e estéticos, congênitos ou adquiridos gerados pelo mau posicionamento dos ossos maxilares. Quando maxila e ou mandíbula encontram-se em desarmonia de proporções dizemos que seus portadores apresentam deformidade dento - facial, daí a ação integrada entre ortodontia e cirurgia buco-maxilo-facial podem re-estabelecer a harmonia facial e corrigir inúmeros problemas que podem surgir em decorrência dessa deformidade.
Pacientes portadores de deformidade dento - facial podem apresentar dificuldade na mastigação dos alimentos, dificuldade em articulação das palavras, dores em região da articulação temporomandibular, distúrbios do sono tais como a apeia obstrutiva do sono, perdas dentais, e de maneira muito freqüente alterações estéticas desagradáveis e estigmatizantes que são fonte de problemas de ordem emocional com alta incidência.
A cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico realizado sob anestesia geral para reposicionamento da maxila, mandíbula e ou mento permitindo a resolução dos problemas supracitados.

Tratamento da Apneia do Sono

A síndrome da apnéia obstrutiva do sono é uma doença que implica em interrupções da respiração durante o sono, tais interrupções repercutirão de diversas maneiras sobre a vida dos seus portadores. Sonolência diurna, sensação de fadiga crônica e elevação dos níveis de pressão arterial acontecem com grande frequência, e existem trabalhos que associam ainda o risco aumentado para morte súbita em pacientes que apresentam essa síndrome.
Entre as opções cirúrgicas de tratamento, a que apresenta maiores índices de cura é a cirurgia ortognática (veja explicação sobre cirurgia ortognática em um dos itens dessa lista de procedimentos).

Dúvidas frequentes
O que é a cirurgia ortognática?

Cirurgia ortognática é o nome dado à cirurgia que realiza osteotomias planejadas (cortes ósseos) em maxila e mandíbula, que apresentam algum problema de posicionamento; problema esse que costuma se manifestar como excesso ou deficiência de crescimento e que também acarretam problemas de mau posicionamento dentário.
O público leigo costuma rotular pessoas com esses problemas como pessoas que tem o “queixo muito grande” ou o “queixo muito pequeno” ou que tem “sorriso gengival” que é aquele sorriso em que aparece quantidade excessiva de gengiva.
A finalidade da cirurgia ortognática é o reposicionamento maxilo-mandibular devolvendo função mastigatória, respiratória e de fala, possibilitando melhor função para as articulações temporo-mandibulares e ainda, muitas vezes, proporcionando melhoria da estética facial.

Quem pode se submeter a cirurgia ortognática?

Qualquer indivíduo saudável que após criteriosa avaliação clínica especializada apresente quadro clínico que o indique para o procedimento.

No pós-operatório da cirurgia ortognática o paciente fica com a boca “amarrada”?

Não. Esta é uma referência à época em que não eram utilizados mini placas e parafusos de titânio para fixação rígida dos segmentos ósseos osteotomizados (cortados), atualmente os pacientes utilizam no pós-operatório imediato pequenos elásticos ortodônticos que não bloqueiam a abertura de boca apenas limitam esta abertura para dar maior conforto aos pacientes.

×

Clínica geral e Estética dentária

Clínica geral e Estética dentária

Planejamento digital

Planejamento Digital do Sorriso (PDS ou DSD)

O PDS é uma simulação digital do objetivo do tratamento.
Trata-se de uma ferramenta de planejamento e comunicação entre os profissionais responsáveis pelo sucesso do tratamento e entre o profissional e o paciente.

Planejamento digital do sorriso e resultado
Lentes de contato

Diastema são espaços existentes entre os dentes que podem comprometer a estética e harmonia de um sorriso. Geralmente acometem os dentes anteriores superiores causando uma desarmonia na estética facial.
A solução para esse problema é resolvido com a área da odontologia estética. O fechamento desses espaços pode ser feito com tratamento ortodôntico, uso de resinas, com facetas de porcelana ou com lente de contato. As lentes de contato em cerâmica apresentam ótima estética, por serem muito finas desgastam pouquíssima estrutura de dente, não mancham, não mudam de cor e possuem muita resistência.

Lentes de contato
Facetas e restaurações estéticas

As principais indicações para realização dos tratamentos estéticos compreendem alterações na face vestibular (parte de fora) dos dentes anteriores, manchas por fluorose (excesso de flúor durante a formação dos dentes), escurecimento dos dentes, má formação, mau posicionamento no arco, diastemas, restaurações amplas, perda de estrutura coronária por cárie ou traumatismo, tratamento das lesões de erosão, abrasão e atrição.
A faceta pode ser executada diretamente na boca do paciente com resina composta ou ser de porcelana realizada no laboratório e, posteriormente colocada no dente do paciente. A Faceta proporciona um resultado estético bonito e aspecto bucal saudável para o paciente sem amarelar com o tempo.

Facetas em Cerâmica
Clareamento a laser

A busca por um sorriso mais branco vem se tornando a cada dia mais comum. O Clareamento Dental é uma solução não invasiva que branqueia a superfície dental e é um método excelente para obter um sorriso mais harmônico. O Clareamento dental visa a recuperação da cor original dos dentes pois com o passar da idade há um escurecimento natural dos dentes que é acelerado pela ingestão de alguns alimentos e bebidas como, vinho tinto, chimarrão, refrigerantes, cafezinho, cigarro entre outros.
O clareamento pode ser feito por qualquer pessoa, e não prejudica os dentes. Os produtos utilizados são aprovados pela American Dental Association (ADA).
Elegemos o clareamento de consultório a laser como o mais eficaz, com melhores resultados e mais rápido. Realizado em até 4 sessões em consultório, conforme a necessidade do paciente. As sessões são semanais para evitar muita sensibilidade, cada consulta dura cerca de 1 hora e também pode ser associado ao caseiro se quiser um efeito muito branco ou para dentes resistentes ao clareamento. Todo paciente fica satisfeito com o resultado e esse se mantém duradouro, dependendo dos cuidados de higiene e da alimentação. Podendo ser feita manutenção a cada dois ou três anos.

Clareamento a laser
Dúvidas frequentes
Qual a duração de uma resina?

A duração de uma resina vai depender dos cuidados ao morder alimentos que não sejam indicados para serem triturados ou rasgados com os dentes ex: caranguejo, gelo, rasgar ou cortar objetos com os dentes , roer unhas etc....esses maus hábitos encurtam a durabilidade de qualquer procedimento restaurador.
É importante visitar o dentista pelo menos 1 vez ao ano, para que possa fazer a manutenção das restaurações estéticas que é inserida na manutenção da saúde bucal do paciente, sendo assim, o controle da higiene bucal, as profilaxias periódicas, como também as reavaliações clínicas do estado das restaurações, manutenção através de polimentos para que se mantenha a lisura superficial destas restaurações diminuindo a ação de manchamentos e mudanças de cor por uso de alimentos muito pigmentados, prolongam a vida útil desses trabalhos.

Quais as vantagens e desvantagens de uma restauração feita com resina ou com cerâmica?

A desvantagem das restaurações em resina em relação às cerâmicas é resistência e estabilidade de cor, as cerâmicas nunca mudam de cor e são muito mais resistentes que as resinas. Porém as cerâmicas devem ser usadas com cautela em pacientes que apresentam bruxismo, esses devem ser orientados a usarem uma placa interoclusal para dormir a fim de prolongar a durabilidade das cerâmicas e proteger os dentes naturais.

×

Endodontia

Endodontia

A Endodontia é a especialidade responsável por tratar das patologias referentes a polpa dentária e todo o sistema de canais radiculares e tecidos periapicais. O tratamento endodôntico (ou o tratamento do canal) está indicado, com o objetivo de garantir a permanência do dente na cavidade bucal e manter a saúde dos tecidos periapicais.
Na Unique Saúde Estética Oral, oferecemos o moderno Sistema de Instrumentação Rotatória para tratamento de canais radiculares, proporcionando maior agilidade no tratamento, menor tempo nas sessões e promovendo maior conforto para o paciente durante o tratamento.

Dúvidas frequentes
O que é o tratamento de canal?

O tratamento consiste na remoção da polpa dental (nervo do dente), que se encontra no interior do canal radicular (raiz). O tecido pulpar pode estar vivo e inflamado ou infeccionado e necrosado (morto). Após a remoção do tecido pulpar, o canal será instrumentado, esterilizado e preenchido com material biocompatível. É através do tratamento endodôntico que evitamos a extração de um dente e prevenimos infecções que podem ser perigosas para a saúde do paciente.

Quando o tratamento de canal é indicado?

De modo geral, o tratamento deve ser realizado quando a polpa vital se apresenta inflamada, com dor intensa e espontânea (pulpite), em decorrência de cárie profunda, fratura do dente, ou em outra situação, quando a polpa perde a vitalidade (necrose pulpar) e compromete a raiz do dente, provocando inflamação ao redor da raiz e do osso, de modo assintomático (cisto) ou com dor (abcesso).

O tratamento de canal dói?

Atualmente existem técnicas e materiais para controle e gerenciamento da dor, além do auxílio de medicamentos, que permitem a realização do tratamento de canal com tranquilidade e segurança, desmistificando a ideia que ainda hoje as pessoas têm sobre este tratamento.

Após o tratamento do canal o dente fica morto?

O dente que recebe o tratamento endodôntico não deve ser considerado morto, pois embora não contenha mais a estrutura vital (polpa), o dente é envolvido em toda a sua raiz por um elemento vivo (membrana periodontal), permitindo que este continue a executar suas funções normais, e de fonética e mastigação sem nenhum prejuízo.

O tratamento de canal enfraquece o dente?

Não. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam não é o tratamento endodôntico que enfraquece o dente, o que causa o enfraquecimento é a grande perda de estrutura dental causada geralmente pela cárie que por sua vez, leva o dente a necessitar deste tipo de tratamento.

Todo dente pode ter seu canal tratado?

De uma maneira geral sim. Deve-se, no entanto avaliar a relação custo benefício do tratamento. Com o advento dos implantes, nos casos com o prognóstico duvidoso, podem ser mais bem solucionados com a extração do dente e colocação de implante.

Fiz tratamento de canal no meu dente e agora devo retratá-lo. Por quê?

O tratamento endodôntico quando bem conduzido, tem um percentual de sucesso bastante elevado. No entanto, em alguns casos pode haver recidiva do processo inflamatório ou infeccioso, estando indicado o retratamento endodôntico. De uma maneira geral o insucesso da terapia endodôntica, na maioria dos casos, deve-se a infiltrações por meio das restaurações ou próteses mal adaptadas, permitindo a contaminação por bactérias presentes na saliva ou ainda quando o tratamento anterior não foi bem executado por algum motivo.

Quanto tempo leva para fazer o tratamento de canal?

Varia de acordo com a dificuldade do caso. Atualmente é possível realizar o tratamento em apenas uma sessão, mas há casos mais complexos que podem levar algumas consultas.

O que poderá ocorrer se o tratamento de canal indicado não for realizado?

Pode-se desenvolver uma lesão na região apical (infecção na raiz e tecidos vizinhos), que poderá ter consequências mais sérias como dor intensa, inchaço, febre e bacteremia. A única solução a partir daí será a extração do dente.

Todo dentista pode realizar o tratamento de canal?

Todo clínico geral está apto a realizar o tratamento, ao menos nos casos mais simples. Casos mais complexos devem ser sempre encaminhados ao Endodontista, que é o especialista nesta área.

×

Implantodontia

Implantodontia

A ausência dentária é um dos grandes problemas que acometem a saúde bucal de inúmeros brasileiros e podem causar prejuízos para a mastigação e para a auto-estima.
O tratamento para solucionar tais problemas pode ser feito de diversos modos, e atualmente o que apresenta as maiores vantagens é a utilização de implantes dentários. Esta técnica vem sendo aperfeiçoada desde a década de 50, e hoje existem muitos recursos para que a mesma seja feita de modo a garantir, aos pacientes, eficiência mastigatória e harmonia estética, com uma melhor possibilidade de higienização, menor dano aos tecidos vizinhos (gengiva e dentes), maior estabilidade e longevidade da prótese, e liberdade de mastigação.
O tratamento com implantes dentários para casos convencionais envolve duas fases, a fase cirúrgica de instalação do implante de titânio e a fase de prótese onde as coroas protéticas são instaladas, e em muitos casos esses dois momentos podem ser imediatos.
prótese sobre implante O sucesso terapêutico com implantes se aproxima de 98%, no entanto, é imprescindível para os mesmos uma boa manutenção e revisões sistemáticas ao dentista.
A Unique Saúde e Estética Oral oferece a possibilidade de instalar o implante(s) e colocar a prótese sobre implante em um só lugar.

Dúvidas frequentes
Se tiver pouco osso posso fazer implante?

As técnicas de implantes dentários atualmente estão muito evoluídas, portanto há algumas maneiras de se conseguir aumento de osso tanto em altura como em espessura, através da realização de enxertos, utilizando o osso do próprio paciente, osso bovino ou substitutos ósseos sintéticos. Esses enxertos podem ser feitos previamente à instalação desses implantes, ou concomitante a cirurgia dos implantes. Na primeira situação deve-se esperar um período de 4 a 8 meses, para que ocorra a formação do osso maduro que permita a instalação do implante par que ele fique bem preso.

Em que momento do tratamento posso fazer o implante?

Primeiro deve-se fazer as extrações, se necessárias, para remover qualquer foco infeccioso da boca, e o paciente não corra o risco de desenvolver nenhum doença sistêmica, como por exemplo, endocardite bacteriana. Para isso, sempre antes da cirurgia se faz uma medicação profilática com o intuito de afastar qualquer problema infeccioso sistêmico ou local e para evitar edemas, inchaços exagerados. Após análise dos exames complementares raiox, tomografia, modelos de estudo, exames de sangue, coagulação dentre outros quando necessários, faz-se o planejamento e marca a cirurgia. A depender da quantidade de implantes, a cirurgia pode ser feita com anestesia local ou com sedação no consultório acompanhado de um anestesista, se assim o paciente preferir.

Os implantes sofrem rejeição?

Os implantes odontológicos são confeccionados em Titânio que são biocompatíveis com o tecido ósseo e gengival. Portanto, se realizados em condições adequadas, não sofrerão rejeição do organismo. Porém, como todo procedimento que depende da resposta biológica de cada indivíduo, pode haver falha no mecanismo de osteointegração (e não rejeição do material). As estatísticas demonstram que essas falhas são raríssimas não atigindo 2% dos casos, inúmeros estudos que comprovam a eficácia e durabilidade dos implantes dentários.

O tratamento com implantes dentários é doloroso?

Não. Na nossa experiência dor não é uma situação provável. Durante a etapa cirúrgica técnicas anestésicas e de sedação específicas podem com facilidade proporcionar conforto e ausência de dor, e no pós-operatório, analgésicos e anti-inflamatórios ajustados a cada caso também podem garantir um pós-operatório confortável.

O que é a carga imediata em implantodontia?

É o procedimento de reabilitação de perdas dentárias onde a instalação de implantes (fase cirúrgica) e instalação da prótese sobre implantes (fase protética) se dá em um único estágio, num mesmo dia, sem o tempo convencional de espera que gira em torno de um a quatro meses. Traz como grandes vantagens um tratamento concluído em curto espaço de tempo sem utilização de próteses provisórias móveis.

Todas as pessoas podem realizar carga imediata?

Não, a realização de carga imediata é fortemente dependente da qualidade da superfície do implante, da qualidade óssea do indivíduo e apresenta índice de sucesso mais elevado em implantes múltiplos que podem ser unidos, que em implantes unitários, deste modo, a realização deste procedimento vai ser possível ou não na dependência da análise dos casos individualmente.

×

Odontopediatria

Odontopediatria

Atendimento de bebês, crianças e adolescentes

O cuidado com a saúde bucal deve começar desde a gestação. Inicia-se com a orientação da gestante, informando-a sobre os hábitos bucais saudáveis do(a) futuro(a) filho(a), prosseguindo-se com o acompanhamento do bebê até a adolescência.
O trabalho do odontopediatra é muito importante. Por meio dele, a criança tem seu primeiro contato com o dentista. Ele propiciará a criação de uma imagem positiva desta experiência, possibilitando o estabelecimento de um atendimento odontológico sem fobias.
O odontopediatra atua na prevenção e tratamento da cárie dentária, doença periodontal (problemas de gengiva), hábitos bucais (uso prolongado da chupeta e mamadeira, sucção do dedo, respiração bucal, etc.), traumas dentais e orientação da dieta e higiene bucal, enfim todo o tratamento para promover a saúde bucal de crianças e adolescentes.
Na Unique Saúde e Estética Oral, a equipe de atendimento busca criar um ambiente bem amigável reforçando a idéia de que ir ao dentista é uma experiência natural e agradável.

Odontopediatria
Atendimento a pacientes portadores de necessidades especiais

Pacientes com necessidades especiais são indivíduos que apresentam uma condição momentânea ou permanente, biológica, física, mental ou comportamental, que requer uma abordagem especial, multiprofissional e um protocolo específico.
Normalmente apresentam algum grau de disfunção motora que dificulta a higienização bucal. Por isso, estes pacientes requerem uma atenção e cuidados específicos também no condicionamento psicológico. Por isso, quanto mais cedo for iniciado o contato com o odontopediatra, mais confortável e seguro se sentirá o paciente, resultando em melhores resultados.
O tratamento de pacientes portadores de necessidades especiais requer um profissional preparado para este fim e uma sintonia e confiança entre especialista, pais e cliente. A Unique Saúde e Estética Oral possui em seu quadro de profissionais uma odontopediatra capacitada para esse tipo de atendimento.

Cirurgia oral menor em crianças

Cirurgia oral menor é o tratamento cirúrgico de algumas anomalias existentes na boca. Na Unique Saúde e Estética Oral temos um diferencial, o odontopediatra realiza e/ou acompanha seu cliente infantil nas cirurgias oral menor.
Os procedimentos mais frequentes são: exodontia (extração) de dentes, incluindo os terceiros molares (dentes do siso), frenectomia labial e lingual (remoção do freio labial superior ou labial inferior e freio lingual), remoção de dentes supranumerários (dentes a mais na boca) e tratamento de lesões como cistos e tumores odontogênicos.

Dúvidas frequentes
Por que é importante a gestante fazer o pré-natal odontológico?

Alguns estudos recentes apontam para uma ligação entre as doenças gengivais da grávida e os partos pré-termo e os recém-nascidos de baixo peso. Durante o pré-natal odontológico a gestante receberá medidas preventivas para seus dentes e gengivas. Caso haja necessidade, será realizado o tratamento odontológico, a fim de restabelecer sua saúde bucal. Também, receberá orientações de promoção de saúde bucal para seu bebê.

Os bebês podem nascer com dentes?

Sim, alguns bebês já nascem com dentes. Estima-se que 1 em cada 2.000 recém-nascidos nasça com dentes. Geralmente dois dentes na mandíbula, na posição dos incisivos centrais. Isto é possível porque a mineralização (calcificação) destes dentes se inicia por volta dos quatro meses da vida intrauterina.

Como realizar a higiene bucal do bebê?

Desde o nascimento é importante estabelecer o hábito de higiene bucal. Enquanto não surgirem os dentes decíduos (dentes de leite), a higienização pode ser realizada com uma gaze ou fralda embebida em água filtrada ou fervida. Quando surgir o primeiro dente na boca, a higiene bucal deve ser realizada delicadamente com escova de dente macia, após cada alimentação e antes de dormir. Para facilitar a compra da escova, os pais podem se basear na orientação de faixa etária descrita nos rótulos das escovas.

Quais os primeiros dentes a surgir?

Em geral, a erupção se inicia por volta dos 6 meses e os primeiros dentes a romper costumam ser os incisivos centrais inferiores (no meio da gengiva de baixo), seguidos pelos incisivos centrais superiores; posteriormente rompem os outros até completar a dentição decídua, composta por 20 dentes, até aos 3 anos.

Quando deve ser a primeira consulta ao odontopediatra?

O ideal é que ocorra na época de erupção do primeiro dente de leite, por volta dos seis meses de vida.

Qual a importância do acompanhamento dos pais na hora da escovação?

A presença dos pais no momento da higiene bucal é fundamental, pois a criança não tem coordenação motora suficiente para realizá-la de maneira correta.

Qual a importância dos dentes de leite?

A conservação dos dentes decíduos (de leite) é importante para guiar e manter o espaço da dentição permanente. Se um dente decíduo é perdido precocemente, o espaço pode fechar e o dente permanente pode ficar retido e não irromper (nascer). Além disso, os dentes decíduos são importantes para a articulação da fala e para o equilíbrio emocional das crianças ao se relacionarem com as demais. Os dentes decíduos são importantes também na mastigação de alimentos nos primeiros anos de vida da criança.

Qual a idade que inicia o processo de troca da dentição?

Este período tão esperado pelas crianças, normalmente, ocorre por volta dos seis anos de idade, mas pode variar de acordo com a hereditariedade ou presença de alguma alteração sistêmica.

Por que alguns bebês apresentam um atraso na erupção dentária?

Existe uma grande variabilidade sem que isto tenha qualquer significado patológico (em 1% das crianças o primeiro “dente de leite” aparece após os 12 meses de vida). Alguns autores consideram existir uma erupção tardia quando uma criança aos 13 meses ainda não tem dentes e, neste caso, pode se justificar a investigação das eventuais causas. Dentre estas, as mais comuns são as causas idiopáticas (causas desconhecidas), mas podem ser genéticas (familiares) ou distúrbios nutricionais ou sistêmicos, como hipopituitarismo, hipotiroidismo, raquitismo, Trissomia 21, entre outras.

Qual problema o uso de mamadeira à noite pode causar?

À noite existe uma diminuição da salivação e também do reflexo da deglutição que favorece a retenção do alimento junto ao dente e consequentemente ao desenvolvimento da doença cárie. O uso da mamadeira após a erupção dos dentes poderá levar a chamada cárie de mamadeira. O fato de adicionar outro componente, como açúcar e cereais, leva a um aumento da ocorrência de lesões (cavidades) de cárie. Recomendamos que o uso da mamadeira noturna seja suspenso gradualmente, após erupção dos primeiros dentinhos. Caso haja dificuldade, poderá oferecer ao bebé uma mamadeira com água pura.

É normal a criança apresentar febre, cólicas, falta de apetite com o nascimento dos dentes?

Em muitos bebês a erupção dentária é assintomática ou provoca um desconforto ligeiro. Contudo, em alguns bebês podem surgir: nervosismo ou grande irritabilidade, salivação abundante e até mesmo, rejeição a mamadeira (as gengivas doloridas podem provocar incômodo durante a mamada).
Nesta fase, instintivamente, o bebê tentará levar à boca tudo o que apanhar, na tentativa de atenuar a desconfortável dor nas gengivas. Esta fase exige paciência e carinho. Para o alívio do seu desconforto pode ser necessário oferecer ao bebê bebidas frescas, alimentos duros como pão ou cenoura (mas sempre com vigilância de um adulto) ou anéis de dentição específicos (mordedores), alguns dos quais podem ser colocados na geladeira. Em alguns casos, pode-se aplicar gel de massagem gengival. Se mesmo assim o bebê estiver muito irritado, um analgésico.
Raramente, poderá surgir uma febrícula (excepcionalmente acima de 38,8ºC). A gengiva torna-se mais vermelha e, por vezes, inchada.
É importante destacar que se o bebê apresentar alguma sintomatologia sistêmica (febre, diarréia, etc.), antes de atribuir o fato ao período de erupção dentária, o responsável deve levar a criança ao pediatra.

O uso da chupeta é prejudicial à dentição?

O uso de chupeta, assim como a sucção do dedo, em excesso e para lá de determinada idade (três anos) pode provocar uma mordida aberta (“dentes de coelho e sem contato”) com necessidade de acompanhamento e, eventual, intervenção ortodôntica. Na maioria dos casos, a suspensão destas forças antes dos 3-3,5 anos de idade leva a uma correção espontânea das deformações e a um desenvolvimento normal da arcada dentária.

Qual a orientação básica para higienização bucal em crianças?

  • Do nascimento até a erupção do primeiro dente, convém limpar a boca com um pano úmido (por exemplo, uma fralda de pano limpo), umedecer com água filtrada ou fervida.
  • Entre os 6-18 meses, após erupção do primeiro dente e antes da erupção dos dentes molares (dentes de trás), os pais devem utilizar “dedeira dentária” ou escova com pasta adequada que deve ser orientada pelo odontopediatra (a quantidade de pasta deve ser compatível com uma “lambuzada” na escova).
  • Entre os 18-24 meses, os pais devem utilizar uma escova com pasta adequada que deve ser orientada pelo odontopediatra (a quantidade de pasta deve ser compatível com uma “lambuzada” na escova).

Após a erupção do primeiro dente, os pais devem garantir que os dentes dos filhos sejam escovados pelo menos duas vezes por dia, de manhã e à noite (depois de lavar os dentes à noite, não lhe dê leite, bolachas, xaropes, etc.),; se possível, devem ser escovados também após cada refeição.

  • Entre os 2-4 anos, os pais devem utilizar uma escova com pasta com flúor. Se os dentes forem juntos, é importante o uso do fio dental. A criança deve cuspir toda a pasta, evitar ingestão. Recomenda-se colocar quantidade mínima, compatível com um “grão de ervilha”. Nesta faixa etária, devido existir ainda o risco de ingestão de alguma quantidade de creme dental, deve-se fazer o uso da pasta com flúor apenas nas escovações após o almoço e antes de dormir. Pela manhã, após o café da manhã, usar pasta sem flúor.
  • Entre os 4-6 anos, os pais ainda devem supervisionar a utilização de escova e da pasta com flúor e realizar o uso do fio dental. Recomenda-se colocar quantidade mínima, compatível com um “grão de ervilha”. Se a criança ainda permanecer com dificuldade de cuspir toda a pasta, deve-se fazer o uso da pasta com flúor apenas nas escovações após o almoço e antes de dormir. Pela manhã, após o café da manhã, usar pasta sem flúor.
  • Após os 6 anos até por volta dos 10 anos de idade, geralmente as crianças conseguem uma boa autonomia, lavando, sozinhos, corretamente os dentes. Entretanto, a participação dos pais ainda é importante, principalmente para efetuar o uso do fio dental de forma correta e supervisionar pelo menos uma escovação diária.

×

Ortodontia e Ortopedia Facial

Ortodontia e Ortopedia Facial

Atendimento a crianças, adolescentes e adultos

Dentes saudáveis podem se movimentar em qualquer idade. As forças ortodônticas movimentam os dentes da mesma maneira em adultos e crianças, sendo que em adultos o tratamento pode demorar mais por causa de algumas diferenças na biologia celular.
A presença de crescimento nas crianças e adolescentes, por sua vez, aumenta as possibilidades de tratamento conservador (sem extrações ou cirurgia). Por isso, é interessante uma consulta com o ortodontista nesse período.
A ortodontista da Unique Saúde e Estética Oral terá um grande prazer em atendê-lo e informar sobre a existência de uma indicação e o melhor momento de uma intervenção ortodôntica para você ou para seu filho (a). Além disso, estando indicada a Ortodontia, a documentação solicitada para realizar o planejamento possibilitará um verdadeiro “check up” da sua saúde oral.

crianças, adolescentes e adultos
Tipos de aparelho
Tipos de aparelho

Invisalign é um aparelho ortodôntico translúcido e removível, confortável e prático.
O paciente visualiza a simulação digital 3D da correção do seu tratamento, passo a passo.
Vários alinhadores de acetato transparente são confeccionados por computador de forma personalizada.
A posição dos dentes é gradualmente corrigida sem que se tenha impressão visual de estar usando aparelho. Invisalign

Dúvidas frequentes
O que é Ortodontia?

A Ortodontia e Ortopedia Facial é o ramo da Odontologia especializada no diagnóstico, prevenção e tratamento das irregularidades dentárias, faciais e funcionais. O termo técnico para estes problemas é má oclusão.

Por que colocar aparelho?

O tratamento ortodôntico objetiva alinhar os dentes e as suas bases ósseas, assim como engrenar corretamente os dentes superiores com os inferiores.
Dentes alinhados facilitam a higienização, protegem os dentes e melhoram a eficiência mastigatória, além de favorecer um sorriso mais bonito. Um sorriso atrativo e saudável eleva a autoestima.
Problemas ortodônticos não tratados podem piorar, levando a destruição do osso que suporta o dente, dificuldade ou ineficiência mastigatória, desgastes dentários anormais, stress excessivo na gengiva, falta de alinhamento dos ossos da face.
Crianças, adolescentes e adultos podem se beneficiar do tratamento ortodôntico. Dentes saudáveis podem ser movimentados em qualquer idade. E associado ao um acompanhamento clínico regular, o tratamento ortodôntico auxilia na manutenção dos dentes por toda a vida.

O que causa a má oclusão (engrenamento dos dentes)?

A maioria dos problemas é herdado: apinhamento (dentes montados), espaços exagerados entre os dentes, dentes protruídos, dentes ausentes ou extra-numerários e alguns problemas no crescimento da maxila e ou mandíbula.
Outras más oclusões são adquiridas, e podem ser causadas pela sucção da língua ou do dedo, respiração bucal, doenças dentárias (como a cárie, por exemplo), deglutição anormal, higiene dental deficiente, perda prematura ou tardia de dente(s) decíduo (de leite), acidentes e alguns problemas médicos sistêmicos.
O número de desdentados diminuiu nas últimas décadas. Nossos bisavôs, em sua maioria, perdiam os dentes por volta dos 40 anos de idade. Atualmente, uma pessoa com 25 anos tem uma perspectiva de vida de mais 75 anos de manutenção e uso dos seus dentes naturais. Isso se deve a uma enorme mudança nos cuidados dentais e na expectativa de vida do ser humano. Dentes que não se ocluem (se encaixam) bem, podem se danificar – e essa é mais uma razão para você se assegurar de que seus dentes estão com bom alinhamento e bem mantidos durante os anos da sua maturidade.

O que é tratamento ortodôntico Preventivo e Interceptativo? O que é Ortodontia Corretiva?

Os tratamentos de Ortodontia Preventiva e Interceptativa têm o objetivo de corrigir o posicionamento dos dentes (de leite e permanentes) e de direcionar o crescimento dos ossos da face. Para tanto, podem ser utilizados diversos tipos de aparelhos, fixos ou removíveis, em crianças de 4 até 12 anos aproximadamente. A idade ideal para iniciar o tratamento dependerá do tipo de problema e maturidade do paciente.
 Para aqueles pacientes com indicação clara para um tratamento precoce, a intervenção ortodôntica permite:

  • guiar o crescimento da maxila e/ou mandíbula;
  • controlar a largura dos arcos dentários;
  • menor risco de traumas em dentes muito projetados;
  • corrigir hábitos deletérios tais como sucção de dedo, chupeta, e/ou língua;
  • reduzir ou eliminar problemas na deglutição e na fala;
  • melhorar a aparência facial e com isso aumentar a auto-estima;
  • simplificar e/ou diminuir o tempo de tratamento corretivo futuro;
  • diminuir a probabilidade de impacção de dentes (impossibilidade do dente em surgir na cavidade oral)
  • preservar ou ganhar espaço para os dentes permanentes.
A Ortodontia Corretiva é realizada em pacientes com a dentição permanente completa e têm o objetivo de tratar o posicionamento dos dentes para aprimorar a saúde bucal. Se o paciente ainda apresentar crescimento, também nessa fase pode-se atuar sobre ele.

Quais são os benefícios do tratamento precoce?

A maioria dos problemas é herdado: apinhamento (dentes montados), espaços exagerados entre os dentes, dentes protruídos, dentes ausentes ou extra-numerários e alguns problemas no crescimento da maxila e ou mandíbula.
Outras más oclusões são adquiridas, e podem ser causadas pela sucção da língua ou do dedo, respiração bucal, doenças dentárias (como a cárie, por exemplo), deglutição anormal, higiene dental deficiente, perda prematura ou tardia de dente(s) decíduo (de leite), acidentes e alguns problemas médicos sistêmicos.
O número de desdentados diminuiu nas últimas décadas. Nossos bisavôs, em sua maioria, perdiam os dentes por volta dos 40 anos de idade. Atualmente, uma pessoa com 25 anos tem uma perspectiva de vida de mais 75 anos de manutenção e uso dos seus dentes naturais. Isso se deve a uma enorme mudança nos cuidados dentais e na expectativa de vida do ser humano. Dentes que não se ocluem (se encaixam) bem, podem se danificar – e essa é mais uma razão para você se assegurar de que seus dentes estão com bom alinhamento e bem mantidos durante os anos da sua maturidade.

Quando consultar um ortodontista? Qual a melhor idade para iniciar o tratamento ortodôntico?

A consulta com o ortodontista está indicada quando:

  • Há perda precoce ou tardia de dente(s) de leite (decíduo)
  • Há sucção de dedo, língua ou outros hábitos orais
  • Os dentes estão “montados” (apinhados) ou cruzados
  • Os dentes estão projetados – “dentuço”, tortos ou não se tocam
  • Se morde lábios ou mucosa no céu da boca (palato)
  • A mandíbula desloca, está muito para frente ou para trás, ou faz algum barulho ao abrir ou fechar
  • Há dificuldade de mastigar, morder ou fechar a boca
  • Há deficiência na fala
  • Há desequilíbrio facial, assimetria ou falta de proporção
  • Os dentes estão rangendo ou apertando
  • Não se consegue fechar os lábios
  • Há um desejo de se ter um sorriso bonito
Tendo em vista que esses sinais nem sempre são fáceis de serem identificados corretamente, recomenda-se que a partir dos 7 anos de idade, seja feita uma avaliação com um ortodontista. Para cada paciente que tem indicação de tratamento ortodôntico, há uma época ideal de montagem do aparelho a fim de se obter o melhor resultado, no menor tempo possível. E é o ortodontista quem define o momento adequado.

Adultos podem usar aparelhos ortodônticos?

Sim, adultos também podem se beneficiar do tratamento ortodôntico. Dentes saudáveis podem se movimentar em qualquer idade. As forças ortodônticas movimentam os dentes da mesma maneira em adultos e crianças, mas em adultos o tratamento pode demorar mais por causa de algumas diferenças na biologia celular.
Pacientes adultos não apresentam crescimento e muitas vezes sofreram perdas dentárias ou do osso de suporte dentário. Sendo assim, o tratamento ortodôntico se constitui em apenas parte de um planejamento de tratamento global. É necessária uma coordenação entre a Ortodontia e várias outras áreas da Odontologia – Periodontia, Endodontia, Prótese, Clínico Geral, Cirurgião, etc – para assegurar que o plano de Tratamento está sendo realizado corretamente.

Eu gostaria de alinhar meus dentes, mas não quero colocar aparelho fixo. Existe alguma alternativa?

Sim. O aparelho Invisalign é um aparelho ortodôntico translúcido e removível, confortável e prático. O ortodontista credenciado planeja e apresenta ao paciente uma simulação digital 3D da correção do seu tratamento, passo a passo. Após a visualização do planejamento o paciente aprova o tratamento. Em seguida, vários alinhadores de acetato transparente são confeccionados por computador de forma personalizada. Com esse aparelho, a posição dos dentes é gradualmente corrigida sem que se tenha impressão visual de estar usando aparelho.

Quais são os tipos de aparelhos que existem?

Existem aparelhos com ação ortodôntica e com ação ortopédica.
Os aparelhos ortodônticos movimentam os dentes. Eles podem ser fixos ou removíveis: de metal, de cerâmica ou de safira (estes últimos também chamados de “brackets” estéticos, por terem a cor aproximada à cor dos dentes). Os removíveis podem ser placas de acetato (Invisalign) ou placas de acrílico.
Os aparelhos ortopédicos são utilizados para guiar o crescimento da maxila e/ou mandíbula em crianças e adolescentes e também podem ser fixos e/ou removíveis.
Em um mesmo paciente pode estar indicada a utilização dos dois tipos de aparelhos, simultaneamente, ou não.

Por que após o tratamento ortodôntico deve-se usar o aparelho de contenção?

Alguns estudos mostram que, com o passar dos anos, os dentes podem se mover gradualmente. Estas modificações são mais marcantes até os 20 anos de idade, porém continuam a ocorrer em menor escala por toda a vida, na maioria das pessoas. Por isso é tão importante a estabilização dos dentes na sua posição final. Esta estabilização é dada através do aparelho de contenção, que quando removível deverá ser usado rigorosamente de acordo com a orientação do profissional que realizou o tratamento, para assegurar a estabilidade do tratamento.

Os dentes decíduos (de leite) influenciam a dentição permanente?

Nem sempre uma primeira dentição bem alinhada e nivelada garante dentes permanentes bem posicionados, mas a manutenção da saúde da 1º dentição mantém o espaço para os dentes permanentes e isto é um fator importante para permitir dentes permanentes bem posicionados.

Por que problemas respiratórios podem afetar a dentição?

Porque problemas respiratórios durante a fase de crescimento podem alterar o desenvolvimento e crescimento dos ossos da face e a posição dos dentes.

O uso de chupeta e mamadeira causam problemas na dentição?

O uso de chupeta e mamadeira até aproximadamente 3 anos de idade pode modificar a posição dos dentes temporariamente, mas ao ser removido o hábito, a porção dos dentes retorna espontaneamente. Ao iniciar a troca dos dentes, se estes hábitos persistirem podem desenvolver más oclusões sem correção espontânea, demandando tratamento ortodontico.

O tipo de alimentação influencia no desenvolvimento da oclusão?

Uma alimentação saudável, incluindo frutas, verduras e vegetais estimula o funcionamento dos músculos da mastigação e, portanto, favorece o bom desenvolvimento dos ossos da face.
Consumo exagerado de açúcar pode levar a cárie e a perda dos dentes. Se algum dente é perdido indevidamente, os outros dentes vizinhos e antagonistas modificam a posição, alterando a oclusão.

É verdade que a forma de engolir pode afetar a dentição?

Sim. Pessoas que projetam a língua ao engolir podem desenvolver uma má oclusão.

Dentes mal posicionados causam problemas na gengiva?

Sim. Dentes mal posicionados dificultam a higienização, aumentando a incidência de cárie e doenças gengivais.

Aparelho ortodôntico causa cárie?

Não. Mas o uso de acessórios ortodônticos exige uma higiene mais cuidadosa. O paciente ortodôntico deve seguir as instruções do seu ortodontista quanto à higiene dos dentes e do aparelho.

Antes de repor alguns dentes ausentes, preciso tratamento ortodôntico?

Quando dentes permanentes são perdidos, os dentes remanescentes geralmente se deslocam e inclinam. Essa movimentação cria uma oclusão inadequada (encaixe dos dentes) e deixa espaços que não podem ser restaurados devidamente, a menos que o dente perdido seja substituído. Dentes inclinados devem ser corrigidos para que a pressão da mastigação seja normalizada e assim você tenha uma melhor condição para tratamento restaurador e consequentemente um resultado mais saudável. Algumas restaurações, próteses e implantes só finalizarão adequadamente no arco, e em oclusão (encaixe dentário) se os dentes estiverem bem posicionados. Disso depende, muitas vezes, a longevidade do tratamento restaurador.

Problemas na articulação, dores de cabeça e/ou na face estão relacionados à oclusão?

Podem ou não estar relacionados à oclusão. É importante procurar um profissional qualificado para orientá-lo quanto ao tratamento adequado.
Um dos problemas geralmente associados ao desconforto da musculatura facial e da articulação têmporo-mandibular (ATM), é o bruxismo, ou seja, o hábito de ranger ou apertar os dentes, que ocorre geralmente à noite. O bruxismo pode causar desgastes dentários severos e uma sobrecarga e trauma na ATM (articulação próxima ao ouvido). Em alguns casos, acompanhando o bruxismo, têm-se uma musculatura e/ou articulação dolorida. O ortodontista pode ajudar a diagnosticar o problema. O seu dentista clínico ou ortodontista podem fazer um aparelho para uso noturno (placa mio-relaxante), para proteger os dentes dos desgastes dentários provocados pelo bruxismo e para ajudar a musculatura relaxar, diminuindo os sintomas. Algumas vezes, danos estruturais podem requerer cirurgia da articulação e/ou restauração de dentes danificados. Nestes casos, encaminha-se o paciente a um especialista em ATM.

O que é desgaste interproximal? É seguro?

Esse procedimento também é chamado de desgaste do esmalte, redução ”interproximal,” “slicing”, “stripping”, redução seletiva. O objetivo é remover parte da superfície externa do dente (esmalte) para obter mais espaço para os dentes. Esse procedimento tem sido utilizado na Ortodontia desde 1940 e tem se mostrado seguro e efetivo. Alguns estudos realizados entre pacientes que se submeteram a esse procedimento mostra que os dentes não ficam mais susceptíveis a cárie nem mais predispostos a doenças na gengiva.


×

Periodontia

Periodontia

A PERIODONTIA é a especialidade da odontologia que cuida das estruturas de sustentação e proteção dos dentes, basicamente osso e gengiva.
Os cuidados periodontais: higiene e consultas frequentes com o PERIODONTISTA, são muito importantes para manter a saúde.
O Periodontista previne e trata as doenças periodontais (gengivite/periodontite), realizando desde procedimentos básicos de LIMPEZA/RASPAGEM e orientações de higiene bucal, até CIRURGIAS PERIODONTAIS; e também cuida da estética através dos procedimentos de PLÁSTICA PERIODONTAL

Gengivite
Inflamação na gengiva (periodonto de proteção) pela presença de placa(biofilme). O sangramento gengival é o sinal mais frequente nestes casos .
Periodontite
Inflamação que além de atingir a gengiva, envolve também a perda óssea (periodonto de sustentação). Sangramento, mobilidade dentária e halitose estão presentes nestes casos.
Profilaxia (limpeza)
Procedimento indicado para tratamento e prevenção de gengivites. Tem como objetivo a remoção da placa(biofilme) e manchas, através do polimento dos dentes.
Raspagem
Procedimento indicado para bprevenção, tratamento e controle das doenças periodontais. Promove a remoção do tártaro(cálculo) e alisamento das estruturas dentárias. Deve ser realizado periodicamente pelo periodontista.
Cirurgia periodontal
Procedimento cirúrgico para tratamento/controle da doença periodontal.
Estética periodontal
Procedimento cirúrgico para correção da estética da gengiva.
EX.: plastias, aumento de coroa, recobrimento radicular.
Dúvidas frequentes
Qual a melhor escova?

Geralmente escova macia e de cabeça pequena. Informações que vêm escritas na embalagem do produto.

Devo usar fio ou fita dental?

Usar o que for mais confortável para o paciente. A forma adequada de passar é o mais importante.

Qual a melhor pasta?

A não ser que o paciente precise de uma pasta específica (casos de doença periodontal, sensibilidade...), a recomendação é usar pastas NÃO abrasivas (aquelas que contém granulações)

Devo usar antissépticos bucais?

Só quando tiver indicação e for recomendado pelo dentista.

A gengiva sangrar é normal?

Não. Gengiva saudável não deve sangrar. Se isso acontecer, procure o periodontista. Pode ser uma gengivite ou até mesmo um quadro de periodontite.

A periodontite tem cura?

Não tem cura, mas tem como controlar de forma eficaz através da higiene e idas periódicas ao periodontista

Com quanto tempo devo retornar ao periodontista?

Depende do perfil de cada paciente. No mínimo de 6/6 meses.

Como fazer para ter dentes maiores?

Se for por excesso de gengiva, pode-se fazer cirurgias estéticas, como plastias e gengivectomias.

Dá para recobrir minha raiz?

Depois de definir e tratar a causa da recessão, pode-se fazer enxertos/deslizes gengivais.

×

Prótese dentária

Prótese dentária

Prótese sobre dente

A prótese sobre dente, coroa ou ponte, está indicada quando:

  • parte do dente (coroa) está muito danificado,
  • para substituir uma grande restauração quando não restar muita estrutura do dente,
  • para proteger um dente enfraquecido por fraturas,
  • para ligar uma prótese,
  • para cobrir um dente descolorido ou deformado ou
  • para cobrir um dente que tenha sofrido um tratamento de canal.
Além de conferir maior resistência a um dente danificado, a coroa pode ser utilizada para melhorar sua aparência, o formato ou alinhamento dos dentes no arco. As coroas de porcelana ou cerâmica combinam com a cor natural de seus dentes. As pontes são próteses fixas, comumente utilizadas para substituir um ou mais dentes ausentes. Elas preenchem o espaço onde não há dentes e podem ser cimentadas aos dentes naturais ou implantes próximos ao espaço vazio. Estes dentes, chamados de pilares, servem de âncoras para as pontes. O dente deverá ser preparado (desgastado) para receber a prótese. Inicialmente instala-se uma prótese provisória cobrindo o dente preparado, enquanto a coroa ou ponte fixa permanente está sendo feita. Quando estiverem prontas as definitivas, a prótese temporária é removida para que a nova seja cimentada sobre o dente ou dentes já preparados. Para prevenir o dano em sua nova coroa ou prótese fixa, evite morder alimentos duros, gelo ou outros objetos duros. Além disso, mantenha uma boa prática de higiene bucal e visite regularmente o dentista para que os dentes ou osso que a sustentam não sejam danificados por doenças.

Prótese sobre dente
Prótese sobre implante
Os implantes são cilindros metálicos (titânio), instalados nos ossos maxilares com a finalidade de substituir raízes de dentes ausentes. Sobre os implantes, instala-se a prótese, com a finalidade de substituir a coroa dos dentes. A fixação desta prótese a implantes pode ser feita por meio de parafusos ou cimentação. A princípio as parafusadas têm uma durabilidade maior. Caso algum parafuso afrouxe nos componentes intermediários (entre a coroa e o implante) devido à fadiga, estresses, bruxismo etc. é possível dar manutenção sem perder a coroa (prótese). Este parafuso fica no interior do dente e é recoberto por resina da cor do dente. As próteses cimentadas não apresentam aquela flexibilidade das parafusadas e no caso dos problemas citados acima, elas terão que ser refeitas, somando um custo a adicional para o paciente a longo prazo. prótese sobre implante
Prótese protocolo (dentadura fixada em implantes)

Depois de grandes avanços na Implantodontia a colocação de implantes é hoje uma grande alternativa para a reposição de elementos dentários perdidos. Os implantes e próteses sobre implantes podem ser utilizados para repor desde um até todos os elementos da boca de um paciente. A principal vantagem é a de devolver a função mastigatória ao paciente. Com o sistema comum de dentadura, o paciente tem em média 20% do poder de mastigação original, já com o protocolo fixo sobre implantes, esse percentual de poder de mastigação sobe para 85%.
O seu principal objetivo é a reabilitação bucal em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação. Repõe os dentes ausentes ou perdidos.
No arco inferior, no mesmo ato cirúrgico da colocação dos implantes pode-se parafusar a dentadura, esse procedimento é conhecido como carga imediata. No arco superior, nem sempre isso é possível devido ao tipo de osso da maxila (superior) ser diferente da mandíbula (inferior). Neste caso, depois de instalar os Implantes, aguarda-se de 3 a 4 meses para poder parafusar a dentura nos implantes. Posteriormente o cirurgião dentista irá trocar essa prótese, chamada de provisória, por uma definitiva. Esta terá uma barra metálica como reforço internamente.

prótese protocolo
Dúvidas frequentes
Quanto tempo depois do implante pode colocar o dente, a prótese?

Normalmente após 3 meses ou 4 meses, vai depender da condição óssea no momento da instalação do implante, alguns tipos de implantes prometem osteointegração em até 21 dias.

De que maneira são colocados os dentes em cima do implante?

Essas coroas ou dentes podem ser parafusadas ou cimentadas sobre esses implantes.

Qual a melhor opção, prótese cimentada ou parafusada?

A princípio as parafusadas tem uma durabilidade maior, caso algum parafuso afrouxe nos componentes intermediários (entre a coroa e o implante) devido à fadiga, estresses, bruxismo etc. é possível dar manutenção sem perder a coroa(prótese), ao contrário das cimentadas que neste caso terão que ser refeitas somando um custo a adicional para o paciente a longo prazo.

De que maneira devo agir para que meus implantes e minhas próteses durem bastante tempo?

Só quando tiver indicação e for recomendado pelo dentista.Além do cuidado que o profissional deve ter com a parte técnica, é fundamental que os pacientes executem uma boa limpeza da boca, seguindo orientação dada pelo seu dentista: escovas apropriadas para o tipo de prótese que usa, fio dental, cuidado com a alimentação (tipo e textura de certos alimentos podem comprometer o resultado) além das visitas regulares ao dentista.

O fio dental passa entre todos os dentes em caso de prótese fixa? E em caso de implantes?

O fio dental não passa entre dentes em uma ponte fixa, neste caso a limpeza deve ser feita com o auxílio de passa fio e orientado pelo dentista a maneira que deve usar.

×

copyright © 2014/2018 - Unique - Saúde e Estética Oral,
Iguatemi Business & Flat - Rua da Alfazema, n° 761/sala 804
Caminho das Árvores - CEP 41820-710 - Salvador/BA
Telefone: (71) 3248 5686

criação Samuel Vasconcellos